Posso transferir ou vender meu consórcio para outra pessoa?

Por algum motivo não está conseguindo pagar as prestações do consórcio?

Foi contemplado e deseja vender a sua cota contemplada? Ou simplesmente mudou seus planos e não deseja continuar no grupo de consórcio?

Seja qual for à situação, fique sabendo que é possível transferir seu contrato de consórcio para outra pessoa.

Entenda e confira as dicas do CLASSICOTAS.

Na transferência de contrato, também conhecida como cessão de direitos, você passará todos os seus direitos e obrigações ao novo titular do grupo de consórcio. Por este motivo, é importante analisar as possibilidades e estar seguro antes de fazer qualquer negociação. Isso porque pode haver outra solução.

Por exemplo: Se você está com dificuldades no pagamento, sua administradora de consórcios poderá reduzir o valor do seu crédito e assim, diminuir o valor da sua prestação.

Agora, se os seus objetivos mudara e você realmente deseja adquirir outro bem ou serviço, a administradora poderá aumentar o valor do seu crédito. Assim sendo, antes de tomar qualquer decisão, procura a sua administradora de consórcio ou analise bem todas as possibilidades com um bom profissional do consórcio.

Já se sua decisão for vender os eu consórcios, transferir seu contrato de consórcio, algumas orientações podem ajuda-lo a fazer um negócio seguro e satisfatório para ambas as partes.


Contrato
Primeiramente, você deve conferir no contrato de consórcio, se a transferência da cota está prevista e quais suas condições. Exemplo: análise de crédito do novo comprador, pagamento de taxa de transferência. Leia o Check-list para assinar um contrato de consórcio. Em geral, ela é permitida para cota contemplada ou não contemplada. No caso de não contemplada, a administradora analisará a capacidade financeira do novo titular. Já em caso de contemplação, além da capacidade financeira, a administradora solicitará garantias para liberação do crédito.

Venda
A venda da cota de consórcio contemplado ou não contemplado, pode ser feita diretamente pelo consorciado, por terceiro autorizado pelo titular da cota, através de procuração ou contrato de intermediação de venda ou pela administradora, mediante autorização, caso ela ofereça esse serviço a seus clientes. Se optar por realizar a venda diretamente, tenha cautela ao fornecer informações pessoais ou identificação (como número do grupo e da cota) para terceiros. Você pode informar dados gerais, como regulamento do grupo, percentuais já pagos, saldo devedor, mas por segurança, dados restritos devem ser fornecidos, preferencialmente, na sede ou filial da administradora de consórcio ou suas filiais.

Se for deixar seu consórcio para que uma empresa do ramo de venda de consórcios contemplados, procure informações sobre a empresa, veja se a pessoa e a empresa são idôneas, na dúvida não negocie.


Pagamentos

IMPORTANTE – NÃO RECEBA E NÃO PAGUE NADA ANTES DA APROVAÇÃO DO CADASTRO DO NOVO TITULAR DO CONSÓRCIO PELA ADMINISTRADORA.


Um ponto muito importante é que cabe SOMENTE à administradora de consórcios a aprovação da transferência, com base na análise da capacidade financeira e das garantias apresentadas pelo novo titular (NO CASO DE CONTA CONTEMPLADA). Logo, antes de aceitar ou fazer qualquer pagamento, aguarde a confirmação da administradora de consórcio.

Negocie
Para compor o valor de venda da cota de consórcio, considera não apenas o percentual do preço do bem ou serviço pago até o momento, como também o seu valor atual. Caso o crédito tenha sido corrigido nesse período, o valor de mercado da sua cota de consórcio poderá ser maior do que a quantia que você pagou por pela. Assim sendo, você terá mais argumentação na negociação.